segunda-feira, 26 de abril de 2010

Um quadro visto da janela


Em Moderato Cantabile ouve-se o mar enquanto o sol se põe entre a Avenida do Mar e o café. Da janela mais acima, a que a narradora chama quadro, soltam-se as notas que o pequeno toca contrafeito.

O bom tempo fora de época é perturbado por um grito em que a paixão se confunde com a morte e deixa lugar a que mais dois estranhos se tornem amantes de conversas sobre as quais, por vezes, nada sabem.

De Marguerite Duras.
Tradução de Ana Paula Laborinho e Flora Larsson.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Tecendo a espera

Penélope tecia e desmanchava a espera de um séquito de pretendentes enquanto o marido vencia as provações dos mares, de alguns Deuses, buscando o regresso a Ítaca, após a Guerra de Tróia.

Diz-se do poeta, que os imortalizou na Odisseia, que seria cego e de parcos recursos materiais. A sua obra, porém, encerra um valor incomensurável, cuja viagem no mar da literatura haverá de se prolongar sempre.

Na próxima Quinta-feira, poderá (re)ler este clássico, que acompanha o jornal Público, por mais € 5,95.